terça-feira, 28 de julho de 2015

Oposição vai fiscalizar obras em municípios governistas prioritários para o PSB em 2016

BR-232 vai ser o eixo da oposição para as inspeções do programa Pernambuco de Verdade nesta quarta-feira (29). Oposicionistas vão a Vitória de Santo Antão, Gravatá, Bezerros e Caruaru

Hélio Scheppa/JC Imagem

Ayrton Maciel

JC Online

Depois vistoriar obras e serviços públicos do Estado nas Zonas da Mata Sul e Norte, a oposição estadual realiza, nesta quarta-feira (29), a agenda mais política de seu programa de fiscalização do governo, o Pernambuco de Verdade, no interior. A bancada, na Assembleia Legislativa, parte para tentar flagrar obras paralisadas e serviços ineficientes em Gravatá, Bezerros e Caruaru, no Agreste, municípios governistas e de interesse eleitoral prioritário do PSB em 2016.

O líder oposicionista Sílvio Costa Filho (PTB) nega que o roteiro, agora, tenha também um componente eleitoral, para subsidiar a bancada nas eleições municipais. “É mera coincidência. A bancada tem tratado com responsabilidade seu papel de oposição. Observa (problemas) com o olhar técnico e cobra do governo (soluções), independentemente de postulações para 2016”, afirmou o petebista.

A agenda de inspeção deve incluir, ainda, Vitória de Santo Antão, município industrial na Mata Norte, também governista, e que está no eixo da BR-232 até Caruaru. É a quinta rodada do Pernambuco de Verdade, a estratégia criada pelo oposição para fiscalizar obras e ações do programa do governo Todos por Pernambuco. O roteiro vai passar por cidades com amplo domínio do PSB e da Frente Popular. 

Em Gravatá, o nome para a disputa é o atual líder do governo na Alepe, Waldemar Borges (PSB), e em Bezerros, o socialista Severino Otávio (Branquinho) vai apontar o sucessor. Em Caruaru, maior peso econômico da região, quatro lideranças governistas estão na disputa: o prefeito, José Queiroz (PDT), que quer indicar o sucessor, os deputados Raquel Lyra (PSB) e Tony Gel (PMDB) e a ex-deputada Laura Gomes (PSB).

O líder do governo, Waldemar Borges, acusa o projeto da oposição de eleitoreiro e a bancada de “não reconhecer” os avanços do Estado nos governos socialistas. “É um movimento eleitoreiro, exclusivamente. É de quem não desceu ainda do palanque de 2014, nem se conformou com a derrota. Há um conjunto de obras que melhorou a vida dos pernambucanos”, rebateu Borges. "Para cada dificuldade que identificam, há obras melhorando o dia a dia da população. A oposição não está falando para a maioria dos pernambucanos", minimizou o líder do governo a estratégia da minoria. 

A quinta etapa de inspeções da oposição estava agendada para esta terça (28), tendo sido adiada em um dia, para que a bancada de 13 oposicionistas compareça à posse do novo superintendente da Sudene, o ex-prefeito do Recife, João Paulo (PT).

Postar um comentário