sexta-feira, 3 de julho de 2015

Presidente do Salgueiro, Clebel Cordeiro entrega ofício na FPF "pedindo" afastamento da Série C

Medida implicaria na suspensão do Carcará das competições da CBF por 2 anos

 

   

 

Clebel Cordeiro esteve na FPF na manhã desta quinta-feira e entregou ofício pedindo afastamento do clube

Dois meses após chegar ao auge da sua trajetória de dez anos, com o vice-campeonato estadual, o Salgueiro pode estar saindo de cena. Na manhã desta quinta-feira, o presidente do clube, Clebel Cordeiro, entregou um ofício na Federação Pernambucana de Futebol (FPF) “pedindo” o afastamento da Série C alegando falta de condições financeiras para manter o elenco. Assim, o jogo de sábado, contra o Cuiabá, fora de casa, pode ser o último do Carcará. Não somente da temporada.

Isso porque, segundo o Regulamento Geral das Competições da CBF prevê, em seu artigo 58, que “se uma equipe abandonar uma competição ficará automaticamente suspensa durante dois anos de qualquer competição coordenada pela CBF”. Ou seja: caso a “ameaça” salgueirense seja concretizada, o clube estará fora do Nordestão-2016 e da Copa do Brasil-2016 (competições para as quais já têm vaga) e dos Brasileiros de 2016 e 2017. Poderia até participar do Pernambucano, mas, no próprio ofício, há a solicitação de afastamento também do Estadual.

"Vim conversar com o presidente (da FPF) para mostrar que a cidade não aderiu, não aceitou o clube. Para a gente fica muito difícil continuar com o futebol. Até hoje está tudo pago, mas temos uma folha de pagamento aí, dia 15, que temos que pagar, e não temos dinheiro. Há dez anos não atrasamos e, de repente, começar a atrasar... É melhor parar por aqui", alegou Clebel.

Pressão
A “ameaça” do Salgueiro traz, explícita, uma crítica ao Governo do Estado pelo fim do Todos com a Nota e soa como uma forma de pressionar a FPF por uma solução. Os indícios estão no próprio ofício do presidente do clube e no posicionamento do presidente da FPF, Evandro Carvalho, diante da solicitação. Nela, Clebel não comunica o afastamento, mas “pede” o afastamento. No fim, ressalva a possibilidade que a FPF encontre “uma solução para este desfecho.”

"Ele me alegou que o clube está passando por dificuldades e, com isso, ele busca encontrar junto a Federação uma solução para resolver esta questão. Vamos trabalhar nisso amanhã (sexta). Vamos analisar e ver que encaminhamento a gente pode dar”, afirmou Evandro.

Postar um comentário