quarta-feira, 15 de julho de 2015

Tenente da PM é condenado a 150 anos por afogamento de jovens


Pena também inclui tentativa de homicídio de outros 11 jovens no Recife. Sentença foi divulgada nesta quarta; crime ocorreu em fevereiro de 2006.

Do G1 PE

O tenente da Polícia Militar Sebastião Antônio Félix foi condenado há 150 anos e seis meses de prisão pela morte de dois dolescentes e tentativa de homicídio de outros 11, em crime ocorrido em fevereiro de 2006, no Recife. A sentença foi divulgada na noite desta quarta-feira (15), depois de dois dias de júri. A juíza Fernanda Moura, da 1ª Vara do Tribunal do Júri do Tribunal de Justiça de Pernambuco, no Recife, presidiu o julgamento.

O PM foi condenado por dois homicídios triplamente qualificados (motivo fútil, tortura e sem chance de defesa à vítima). A defesa vai apelar da decisão e o acusado aguarda o recurso em liberdade.

O tenente era o superior de um grupo que estava trabalhando no dia dos homicídios. Ele seria julgado em maio, mas o caso foi desmembrado. Outros três policiais militares envolvidos com o crime ainda serão julgados pela morte de um adolescente, mas não há previsão para marcação desse júri.

Em 22 de maio passado, três PMs do mesmo grupo do tenente foram condenados pela morte de Diogo Rosendo Pereira, 15 anos, e por outras nove tentativas de homicídio. O sargento Aldênis Carneiro da Silva e os soldados José Marcondi Evangelista e Ulisses Francisco da Silva foram condenados por homicídio triplamente qualificado. O PM Irandir Antônio da Silva foi absolvido, depois de pedido do Ministério Público de Pernambuco

Entenda o caso
De acordo com a acusação, em 28 de fevereiro de 2006, quando policiais militares procuravam por jovens que estavam fazendo arrastões no Recife, os PMs citados nesse processo teriam obrigado 17 adolescentes a atravessar a nado o Rio Capibaribe, ameaçando-os com revólveres, a partir da Ponte Joaquim Cardozo, na Ilha Joana Bezerra, área central da capital. Por não saberem nadar, dois adolescentes, de 15 e 17 anos, morrreram afogados. Das 17 vítimas, 11 sobreviveram e outras quatro não foram identificadas.

Postar um comentário