segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Assalto e mortes no metrô do Recife

Policial à paisana reage a tentativa de assalto no metrô, mata dois suspeitos e apreende adolescente Tentativa aconteceu dentro de composição; trio é suspeito de outros assaltos no metrô

 FolhaPE, 

Ação terminou com dos dois suspeitos mortos no vagão

Atualizada às 19h26

Uma tentativa de assalto no Metrô do Recife terminou com dois suspeitos mortos e um adolescente apreendido. Um policial civil à paisana se encontrava na composição, na altura da Estação Largo da Paz, quando reagiu à tentativa realizada pelos três homens. A assessoria de comunicação da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) disse haver uma suspeita de que o trio já teria participado de outro assalto no metrô.

Os suspeitos entrararam no metrô pela estação Imbiribeira e anunciaram o assalto durante o deslocamento pela Linha Sul. Segundo um leitor do Portal FolhaPE, que entrou em contato por meio do WhatsApp (81) 9.8187.9290, os três estavam no último vagão com uma caixa de picolé e exigiam que os usuários do transporte colocassem seus pertences dentro do recipiente, ameaçando os passageiros com um revólver calibre 38. Foi nesse momento, por volta das 14h50, que um policial civil à paisana reagiu, matou um dos suspeitos e feriu outro - que veio a falecer algum tempo depois - e ainda apreendeu o adolescente envolvido no crime. Segundo um metroviário, houve pânico entre os passageiros.

De acordo com a perita do Instituto de Criminalística (IC) Vanja Coelho, cada suspeito foi alvejado duas vezes - nas palavras dela, disparos "totalmente letais". A identidade dos dois ainda é desconhecida, já que não portavam documentos de identificação e também não foram reconhecidos pelos passageiros. Um dos assaltantes estava com um revólver 38 com seis munições - sendo que três pinaram, ou seja, houve tentativa de disparar a arma, mas falhou.

Segundo a CBTU, os suspeitos já realizavam esses assaltos há algum tempo. O trio sempre agia do mesmo modo: entravam em uma estação, anunciava o assalto e descia sempre na estação Largo da Paz. E mandavam os passageiros não descerem. De acordo com a empresa, foram cinco crimes só nos últimos 30 dia, sempre em horário de menor movimentação. 

O adolescente foi encaminhado para a Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA). Um delegado da Polícia Civil e peritos do Instituto de Criminalística (IC) estiveram no local. O policial, que não teve o nome divulgado, compareceu espontaneamente à delegacia para prestar esclarecimentos. De acordo com o presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol), Áureo Cisneiros, o agente foi ouvido e liberado - e não deve ser indiciado. Ainda de acordo com Cisneiros, foram ouvidas duas testemunhas que confirmaram a versão do policial. "O policial agiu em defesa de sua vida, da sociedade e dos cidadãos que estavam no metrô", disse

Postar um comentário