quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Compesa é investigada pela Polícia Federal por despejar esgoto sem tratamento no Estado

Estão sendo cumpridos nove mandados de busca e apreensão e oito mandados de condução coercitiva
- Do FolhaPE, com informações da assessoria

Divulgação/PF

PF promove exames periciais nas estações de tratamento de esgoto da Compesa

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) é alvo de uma operação da Polícia Federal, que investiga o despejo de esgoto sem tratamento ou com tratamento insuficiente em vários locais do Estado. Estão sendo cumpridos nesta quinta-feira (6) nove mandados de busca e apreensão e oito mandados de condução coercitiva.

A operação visita a sede da companhia, a gerência de controle de qualidade de efluentes; gerência de meio ambiente; dois laboratórios de controle de qualidade de efluentes de esgoto; além de estações de tratamento de esgoto, como a ETE Cabanga, ETE Peixinhos, ETE Janga e ETE Rio Formoso, localizadas no Recife, Olinda, Paulista e Rio Formoso.

Também será investigado o sistema de coleta e tratamento de esgoto em Fernando de Noronha, onde houve ocorrências recentes, como o rompimento de filtro anaeróbico e extravasamentos de esgoto bruto em estações elevatórias. Participam da ação sessenta policiais federais, entre delegados, peritos, agentes e escrivães, distribuídos em nove equipes.

Com a ação, a Polícia Federal promove exames periciais nas estações de tratamento de esgoto da Compesa. A PF também procura identificar a utilização indevida pela concessionária de tubulações destinadas à derivação do esgoto bruto para lançamento nos rios e mar antes do necessário tratamento, conhecidas como “bypass”, seja pela inoperância das unidades ou pela capacidade operacional inferior à demanda.

A Compesa enviou nota de esclarecimento sobre as investigações. De acordo com a empresa, “a ação é decorrente de processos que tramitam há alguns anos, estando a Compesa apta e disponível para prestar todas as informações que forem solicitadas pelas autoridades responsáveis”.

Confira nota completa abaixo.

“A Companhia Pernambucana de Saneamento – Compesa, com base nos seus valores de integridade e transparência, vem prestar esclarecimentos à sociedade quanto ao processo hoje deflagrado pela Polícia Federal em algumas de suas unidades de tratamento de esgoto.

A ação é decorrente de processos que tramitam há alguns anos, estando a Compesa apta e disponível para prestar todas as informações que forem solicitadas pelas autoridades responsáveis.
Importante destacar que os problemas relacionados ao esgotamento sanitário não são uma realidade apenas de Pernambuco, mas de todo o Brasil, onde 22 Estados da Federação possuem cobertura inferior a 50%, com índice de tratamento inferior ao que é coletado.

Entretanto, Pernambuco tem sido um exemplo de reação a essa realidade. Comprovação disso é o Programa Cidade Saneada, iniciado em 2013 e que tem o objetivo de elevar de 30% para 90% a cobertura de esgoto em todos os 14 municípios que compõem a Região Metropolitana do Recife e no município de Goiana. O programa é fruto da maior Parceria Público-Privada em operação no país no setor de saneamento e que tem um montante total de investimento estimado em R$ 4,5 bilhões, tendo sido reconhecido, em publicações nacionais e internacionais, como um dos programas mais importantes do mundo.

Esse programa, já em operação, também tem o objetivo de recuperar todas as unidades existentes nessa região e deixá-las adequadas à legislação ambiental até 2018 (5 anos contados do seu início). Mais de 100 estações foram recuperadas nos últimos dois anos.

Diante do exposto, a Compesa não poderia deixar de expor as dificuldades históricas desse setor e de reafirmar seu compromisso de envidar todos os esforços para mudar essa realidade no menor espaço de tempo possível”. (Compesa)
 

Postar um comentário