quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Compesa se pronuncia sobre greve de funcionários

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) divulgou, nesta quarta-feira, uma nota oficial sobre a greve dos funcionários do órgão, que será iniciada no próximo sábado, devendo se estender por tempo indeterminado. No documento, a companhia alega que espera que os serviços essenciais sejam mantidos pelos trabalhadores, como determina a Lei de Greve e assegurou à população que irá adotar todas as medidas cabíveis para garantir a continuidade dos serviços prestados pela empresa. Por ser um serviço essencial, 30% dos funcionários deverão trabalhar durante a greve, apenas no setor de abastecimento. 

A paralisação será iniciada às 8h deste sábado. Na segunda-feira, a categoria pretende se reunir em frente à unidade da Avenida Cruz Cabugá, às 8h e de lá seguir em passeata. Entre as principais reivindicações apresentadas pelo Sindicato dos Urbanitários de Pernambuco (Sindurb-PE) está a reposição da inflação de 2014 e o aumento salarial real (acima da inflação).

Ainda de acordo com o Sindurb-PE, as reivindicações vêm sendo discutidas desde o mês de abril, quando a Compesa afirmou que apresentaria uma proposta de reajuste no mês de agosto. Sem querer esperar, a categoria acionou o Ministério Público do Trabalho (MPT). Foram realizadas cinco reuniões de negociação entre a empresa e o sindicato, e mais cinco com o apoio do MPT. Apenas no último encontro, a Compesa apresentou uma proposta para o pagamento apenas da inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), de 8,34%, dividido em duas parcelas. A primeira, de 5%, seria paga este ano, enquanto os 3,34% restantes ficariam para 2016.

Como contraproposta, o Sindurb-PE reivindicou um aumento de 13,28%, sendo os 8,34% da inflação do último ano mais 4,49% de aumento real. Ainda de acordo com o sindicato, a categoria definiu que a proposta de reajuste poderia ser negociada, mas a Compesa se recusou, motivando a greve.

Postar um comentário