segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Janot manda investigar jatinho de Eduardo Campos

JANOT MANDA INVESTIGAR JATINHO MATOU EDUARDO

Como mostrou a reportagem da UOL publicada neste blog, o ex-governador Eduardo Campos não para de receber homenagens em Pernambuco. A cada mês uma quadra, um campo de futebol, uma estrada ou uma escola recebe o nome do neto de Miguel Arraes, que morreu num acidente de avião, em Santos, no litoral paulista.

Apesar da tragédia e dos seus desdobramentos, inclusive eleitorais, está sempre aparecendo alguma coisa que envolve o nome do líder socialista em negócios nebulosos. Hoje o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, pediu a Polícia Federal que investigue o dono do jatinho usado na campanha política de Eduardo Campos, que causou a sua morte.

Reproduzimos texto do Blog de Jamildo, do Jornal do Commercio:

O Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, pediu a Polícia Federal, em um dos inquéritos da Operação Lava Jato, que investigue por agiotagem o empresário João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho, um dos três empresários pernambucanos que alegam ter comprado o jatinho usado na campanha presidencial  do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos. A revelação é do jornal O Estado de S. Paulo.

A suspeita é de que ele seja o dono da empresa Câmara e Vasconcelos, uma das que financiaram a compra do jatinho por R$ 1,7 milhão. O avião foi testado por Eduardo antes da sua aquisição. A Polícia Federal investiga se os empresários eram laranjas na compra da aeronave.

A Câmara e Vasconcelos aparece na lista de beneficiados no esquema de lavagem de dinheiro do doleiro Alberto Youssef. Ela teria recebido R$ 100 mil em janeiro de 2011.

Em delação, Youssef afirmou que o pagamento era referente a uma dívida da campanha de 2010 do senador Benedito de Lira (PP-AL).

“Seria (a Câmara & Vasconcelos) uma empresa de Pernambuco. Eu sei que era para um agiota que ele estava devendo dinheiro que ele havia pego para terminar a campanha. Ele me falou que esse agiota era de Recife”, disse o doleiro.

Janot decidiu pedir, então, o aprofundamento das investigações sobre a empresa e solicitou uma oitiva de João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho.

A procuradoria quer que ele esclareça as transferências mencionadas e a relação com os parlamentares e se a empresa era usada para agiotagem.

O PSB e a família Campos negam qualquer irregularidade no uso do jatinho. Lyra diz ter comprado o avião e locado para a campanha do PSB

Postar um comentário