terça-feira, 25 de agosto de 2015

Oposição acusa prefeito de Correntes, Edimilson Bahia (PSB), de cometer abuso de poder contra a liberdade de expressão


Cláudia Eloi - Diario de Pernambuco

Cinco faixas de protesto colocadas pela oposição na antiga usina de algodão desativada da cidade de Correntes, no Agreste, contra o prefeito, Edimilson Bahia (PSB), movimentou a cidade ontem. As faixas denunciavam, entre outras coisas, que o dinheiro do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) estava sendo usado irregularmente para pagar servidores fantasmas. Também afirmavam que o prefeito era alvo de investigação de uma CPI municipal e que o medicamento destinado ao hospital municipal havia desaparecido. A oposição acusa o gestor da cidade de usar indevidamente uma retroescadaveira para retirar, de maneira arbitrária, as faixas de uma propriedade privada. 

O governador Paulo Câmara (PSB) estava com agenda programada ontem para inaugurar obras na cidade de Correntes dentro da Operação Reconstrução, mas cancelou a visita, em virtude da reunião com o secretariado. O programa é direcionado para reconstruir cidades atingidas pelas enchentes ocorridas em 2010. Segundo a oposição, a exposição das faixas tinha como objetivo aproveitar a vinda do socialista para denunciar os supostos desmandos na cidade. 

Num vídeo enviado à reportagem, aparece uma retroescadeira amarela, semelhante as dos convênios firmados com o governo federal para áreas atingidas pelas cheias, sendo usada para retirar as faixas contra o prefeito. O vereador de oposição da cidade, Clovis Monteiro (PP), informou que as faixas foram colocadas numa propriedade particular e o prefeito não poderia ter retirado o material sem autorização do proprietário. 

“O prefeito é alvo de investigação de uma CPI municipal por suposto enriquecimento ilícito. Além disso, é questionado porque, no relatório do TCE, não consta o pagamento de IPTU dos moradores nem o recolhimento do ITBI. Há ações contra ele, também, no Ministério Público e inquérito da Polícia Federal”, revelou. 

Procurado pela reportagem, o prefeito negou que tenha usado veículo da prefeitura para retirar as faixas. “Alguns militantes partiram em minha defesa. Não sei quem colocou as faixas nem quem tirou. Quero saber que colocou para processar”, avisou. 

De acordo com o prefeito, as denúncias da oposição são infundadas. “Eles passaram vinte anos no comando da cidade e não fizeram nada”, explicou. Sobre as denúncias de irregularidades no IPTU (2014) e do ITBI, o prefeito explicou que houve um erro no sistema operacional, mas tudo foi resolvido e nenhum contribuinte será prejudicado. “Tudo foi regularizado. O TCE já foi informado”, garantiu.

Postar um comentário