quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Secretaria de Defesa Social cancela compra de mil metros quadrados de tapetes


Letícia Lins
JC nas Ruas

A Secretaria de Defesa Social acaba de cancelar a Ata de Registro de Preços para a compra de mil metros quadrados de tapetes, que adornariam 33 unidades da SDS. A informação foi confirmada em nota enviada ao JC nas Ruas, que havia veiculado notícia sobre a licitação. Pelo edital publicado no dia 7 de agosto, a compra custaria R$ 166.660,00 mil, o que daria para a aquisição de 230 coletes à prova de bala. A licitação foi criticada por delegados, que vêm acusando sucateamento da polícia, denunciando inclusive que trabalham com coletes vencidos.

“A SDS decidiu cancelar a Ata de Registros de Preços mencionada pela coluna, mas esclarece que o modelo de ata em questão não gera obrigação de adquirir o produto, sendo medida administrativa para agilização dos trâmites e posterior tomada de decisão relativamente às prioridades de aquisição”, afirma a nota. Os delegados dizem que polícia civil tem deficit de 40 por cento de pessoal. Mas SDS refutou. “O quadro atual é de 4.761 servidores, o que representa acréscimo de nove por cento em relação a janeiro de 2007 (ano em que foi lançado o Pacto pela Vida). Informou, ainda, que está autorizado o concurso para contratação de cem novos delegados, 500 agentes, 50 escrivães e ainda 316 cargos da Polícia Científica.

“A seleção vai contemplar, também, 1 mil 500 vagas para soldados da Polícia Militar”. Sobre os coletes com prazo de validade vencida noticiados pelo JC, a SDS informou que já “havia determinado o recolhimento”. E que os cedidos ao Departamento de Repressão aos Crimes Patrimonais o foram em “quantidade suficiente”. Informou, ainda, que o fornecimento de combustível é compatível com a demanda das delegacias.
Postar um comentário