quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Trabalhadores de AL são achados em condição análoga à de escravo em PE

Trabalhadores de AL são achados em condição análoga à de escravo em PE

Espaços onde alimentos eram preparados de forma improvisada em pedreira (Foto: Divulgação/ MTE

G1 PE

Cerca de 10 trabalhadores foram identificados em condição análoga à de escravo em uma pedreira de Tacaimbó, no Agreste de Pernambuco. De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), a empresa foi interditada devido a questões trabalhistas e a condições precárias dealojamentodas vítimas.

As pessoas - todas vindas do estado de Alagoas - estavam sem receber há dois meses e não tinham registro em Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS). O valor devido aos empregados soma aproximadamente R$ 20 mil, de acordo com o auditor do trabalho Franscisco Reginaldo.

PuniçãoO alojamento da pedreira não conta com cama ou colchão suficientes, além de banheiro, ainda segundo o auditor. A empresa não disponibiliza água potável ou alimentação adequada aos trabalhadores. "A comida era preparada em latas e panelas velhas", destaca Franscisco Reginaldo.

O empregador foi notificado a regularizar a situação salarial dos envolvidos, além de realizar o registro das Carteiras de Trabalho com data retroativa, fazer o recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e dos demais encargos. Após as adequações, a pedreira poderá ser liberada para funcionamento.

Alojamento de pedreira interditada não tem colchões e camas em número suficiente (Foto: Divulgação/ MTE)

Postar um comentário