quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Trabalho integrado entre forças alagoanas e pernambucanas acaba com quadrilha


A Secretaria da Segurança Pública esclarece para a sociedade alagoana a operação ocorrida, de forma integrada, nesta terça-feira (25), envolvendo as polícias Civil e Militar de Alagoas e o Gati (Grupo de Apoio Tático Itinerante), da Polícia Militar de Pernambuco, no município de São José da Coroa Grande-PE. O cerco ao bando que se denomina “Cangaço do Norte” e tem invadido assentamentos cometendo estupros, homicídios e assaltos na região, foi iniciado na segunda-feira (24) com as equipes adentrando a mata fechada que se estende aos dois estados.

Na tarde da segunda-feira, 24, cerca de oito homens foram avistados pelo serviço de inteligência no local, todos com arma em punho, e os policiais operacionais avisados. Após uma reunião com os comandantes de área e do 6º Batalhão da Polícia Militar, tenentes-coronéis Lucena e Edmundo, respectivamente, também do delegado Carlos Reis a operação foi desencadeada.

O bando empreendeu fuga pelo mato e policiais fizeram campana com pernoite na tentativa de localizá-lo e efetuarem a prisão. Nesta terça-feira, um deles foi capturado e levou as polícias até uma casa no povoado Jagatá-PE, onde foram recebidas à bala. Houve revide e dois integrantes da quadrilha ficaram feridos, sendo socorridos e levados para o Hospital de São José da Coroa Grande, onde logo após entraram em óbito.

Membros da quadrilha, formada por jovens, ainda teriam tentado resgatar os comparsas invadindo a unidade de saúde e efetuando disparos causando pânico aos pacientes e funcionários.

As polícias intervieram e garantiram a segurança das pessoas. Como resultado da operação, dois adultos foram presos e três menores apreendidos. As polícias de Alagoas e Pernambuco também apreenderam armas, drogas e munições.

A Secretaria de Estado da Segurança Pública acredita no trabalho responsável e competente dos seus policiais em conformidade com a lei. 

Fonte: Tribuna Do Sertão

Postar um comentário