quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Conheça os benefícios da pimenta a sua saúde

Conheça os benefícios da pimenta

Ana Paula Scinocca

O consumo de pimenta pode estar relacionado à longevidade. Pesquisa recente, publicada pela revista britânica de medicina British Medical Jornal, mostra que quem consome mais pimenta vive mais, é menos acometido por câncer e por problemas cardiorrespiratórios.

Segundo os pesquisadores, a pimenta tem poder antioxidante e ação anti-inflamatória.

Outra propriedade já conhecida da pimenta se refere ao seu poder termogênico. Ela aumenta a temperatura corporal, acelera o metabolismo e faz com que o corpo queime mais calorias, o que ajuda na perda de peso.

O consumo em excesso da pimenta, porém, pode levar ou agravar doenças no sistema digestivo.

A pedido do blog, o conceituado nutricionista Clayton Camargos, da Metafísicos, falou sobre os benefícios da pimenta.

Segundo Clayton, as pimentas, principalmente a dedo de moça, ajudam na renovação imunológica das células.

“O sangue passa a ter uma viscosidade melhor e elas agem na parede das artérias, melhorando a circulação e a qualidade dos vasos sanguíneos. É um dos grandes motivos da longevidade do povo indiano, coreano e do chinês. Eles consomem pouco, mas diariamente. Na Índia, por exemplo, a mais consumida é a pimenta cúrcuma”, disse.

Já sobre a mostarda, Clayton afirma que “não adianta comprar aquela amarelinha clara que vemos nas prateleiras dos supermercados”.

“A que apresenta os benefícios é a francesa dijon (mostarda escura). Se possível, consumir dois gramas da semente por dia é melhor do que a em pasta já refinada. Ela ajuda as defesas da membrana celular, melhoram a carapaça da célula, fortalecendo contra ataques virais.”

 

A seguir, eis a entrevista:

 

 

Quais são os principais benefícios da pimenta?

 

São alimentos que produzem proteção antimicrobiana, anti-inflamatória e anticancerígena, atuando ainda na melhora da capacidade digestiva e do perfil lipídico. Vale destacar sua atividade termogênica aumentada, o que pode ser positivo como adjuvante no processo de emagrecimento.

 

Quais as doses diárias recomendadas?

 

Não ocorre exatamente uma dose recomendada para seu consumo. Portanto, em princípio, não existe comprometimento no consumo de pimentas nas principais refeições, desde que feito com moderação.

Existe alguma contraindicação?

Prioritariamente deve ser evitada pelos indivíduos portadores de alergia a pimenta. Já os portadores de hemorroida e gastrite devem ter parcimônia em seu consumo.

Sabemos que o paladar infantil é mais sensível a certos sabores. Criança pode consumir alimentos apimentados? Como fazer?

 

Devem ser evitadas, em especial para menores de dois anos de idade, em razão da sua agressividade ao sistema digestório infantil.

 

Além da pimenta, que é considerado um alimento termogênico, que outros alimentos ajudam quando o assunto é emagrecimento?

 

Canela, gengibre, café, vinagre de maçã, guaraná, chá verde, dentre outros.

 

Muitos leitores que já foram gordinhos e emagreceram relatam que voltaram a engordar em algum determinado momento da vida. E que, algumas vezes, o corpo parece não responder a uma dieta. O que fazer quando a cabeça não ajuda e o metabolismo também se mostra mais lento?

Apenas 2% da população apresenta comprometimento metabólico que repercute na redução ponderal. O reganho de peso está majoritariamente associado às questões comportamentais: terapias ou grupos de apoio podem ser decisivos nesse aspecto.

Emagrecimento saudável implica na perda de quantas gramas ou quilos por semana?

Não existe uma regra: em consórcio, variáveis como sexo, idade, perfil genético, histórico de saúde, estilo de vida (nível de stress, padrão de sono e descanso), atividade física, cultura, meio ambiente e tipo de consumo alimentar poderão apontar de forma individual a redução de peso, e que nem sempre será expresso em números na balança, mas na composição corporal que compreende a relação entre o peso de gordura e a massa magra.

Na sua opinião, os exercícios aeróbios afinal ajudam ou não quando o assunto é perda de peso?

Não se pode generalizar. Tudo vai depender das demandas fisiológicas do indivíduo, que devem estar ajustadas com suas metas pessoais. O educador físico deve ser sempre consultado para avaliar essa necessidade ou não.

Postar um comentário