quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Jaboatão é o município campeão de intervenções estaduais


Populista, o prefeito de Jaboatão, Newton Carneiro, sofreu intervenção em 1999, foi afastado do cargo, mas se reelegeu 

Aline Moura

O município de Gravatá não é o primeiro a sofrer pedido de intervenção. O último do estado foi o de Araripina, onde o prefeito Luiz Wilson Ulisses Sampaio, conhecido como Lula Sampaio, foi afastado do cargo por improbidade administrativa.Sampaio deixou o cargo em setembro de 2012, exigindo que o então governador Eduardo Campos (PSB) nomeasse o tenente-coronel da Polícia Militar Adalberto Farias para o comando do executivo. A gestão de Lula Sampaio, que era filiado ao PTB, sofreu intervenção após o TCE rejeitar suas contas e o Ministério Público de Contas elencar 12 razões, entre elas, a mudança de softwares contábeis para facilitar o desvio de recursos. Ele recorreu ao Superior Tribunal de Justiça, mas não teve sucesso. 

Entre os municípios de Pernambuco que passaram por esse processo traumático, que também precisa de aprovação do Tribunal de Justiça, o mais conhecido é o de Jaboatão, na Região Metropolitana do Recife. No período democrático, a cidade vizinha passou por duas intervenções. O prefeito Fagundes Menezes, que já havia sido obrigado a deixar o cargo no auge da ditadura militar, em 1969, também foi afastado das funções no governo de Roberto Magalhães (PFL), em 1984, para dar lugar ao interventor Marcos Vasconcelos. Em 1988, pós-ditadura, ele conseguiu se eleger prefeito, mas o governador Miguel Arraes (PSB) o retirou do cargo após suas contas serem rejeitadas pelo TCE. Na época, Arraes nomeou Roberto Rêgo e depois, Ned Cavalcante. 

Apesar da imagem de "bom velinho" que ostentava, o então prefeito Newton Carneiro (PPB) foi substituído pelo interventor Byron Sarinho, nomeado pelo governador Jarbas Vasconcelos (PMDB), em fevereiro de 1999, mas o vice, Fernando Rodovalho (PSC), conseguiu assumir o cargo em junho daquele mesmo ano. Newton teve uma gestão tão polêmica que a população chegou a jogar lixo em frente à Prefeitura, numa retaliação pela falta de recolhimento de detritos na cidade. Naquele período, a Câmara Municipal de Jaboatão também sofreu intervenção.Newton se elegeu novamente em 2004 e teve outro governo marcado por denúncias de corrupção. Ninguém foi preso, depois de todos esses escândalos.

Postar um comentário