sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Morre réu do mensalão tucano nunca julgado


Faleceu na madrugada desta quinta-feira o empresário Fernando Moreira Soares, de 62 anos, apontado pelo Ministério Público Estadual de Minas Gerais como um dos esposáveis por desviar dinheiro da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), para a campanha do  ex-governador e ex-senador pelo (PSDB) Eduardo Azeredo.
O advogado Ronaldo Garcia Dias, que representava Moreira no processo do Mensalão Tucano, informou que o empresário passou os últimos dias internado e não soube precisar a causa da morte do cliente. Ele informou que o empresário foi velado na tarde desta quinta-feira e enterrado no Cemitério Parque da Colina às 14h.
O advogado também deu entrada no pedido que pede o encerramento do processo em função da morte do réu, sem que haja o julgamento do mérito. Ele também informou que Moreira deixa viúva e duas filhas.
Mensalão tucano
De acordo com denúncia do Ministério Público,  esquema do Mensalão Tucano aconteceu em 1998, durante a campanha à reeleição do então governador Eduardo Azeredo.
Através da empresa de publicidade SMP&B, de Marcos Valério, empresas públicas mineiras faziam repasses à campanha do político do PSDB.
O caso, no entanto, nunca foi a julgamento, graças a uma séria de manobras dos advogados. ao todo, 15 pessoas foram denunciadas, dentre elas, Eduardo Azeredo (PSDB), que renunciou ao mandato de deputado federal em fevereiro de 2014.
O ex-senador Clésio Andrade (PMDB), que fez o mesmo com o cargo no Senado. Os réus Walfrido dos Mares Guia e Cláudio Mourão tiveram os processos prescritos no ano passado, após completarem 70 anos.
Postar um comentário