segunda-feira, 9 de novembro de 2015

PE tem aumento de 19,8% em homicídios de mulheres negras

'Mapa da Violência 2015' compara números de 2003 a 2013. Estudo mostra, ainda, que houve redução de 15,6% nos feminicídios.

Do G1 PE

Dados divulgados pela Organização das Nações Unidas (ONU) em parceria com a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso), revelam que o número de homicídios contra mulheres negras em Pernambuco cresceu 19,8% entre os anos de 2003 e 2013. As informações fazem parte do "Mapa da Violência 2015: Homicídio de Mulheres", levantamento divulgado nesta segunda-feira (9) pelas duas entidades.

Em 2003, foram 187 mulheres negras assassinadas, contra 224 mulheres negras mortas em 2015. No caso dos homicídios de mulheres brancas,Pernambuco registrou queda de 50,9%. Em 2003, foram assassinadas 53 mulheres brancas, enquanto foram mortas 26 em 2013.

Apesar dos números alarmantes registrados contra a população negra, o estado registrou uma queda de 15,6% nos casos de feminicídios no mesmo período, ainda de acordo com o Mapa. Já entre 2006, ano da promulgação da lei Maria da Penha, e 2013, apenas cinco estados apresentaram queda nas taxas de homicídios de mulheres. Além de Pernambuco, Rondônia, Espírito Santo, São Paulo e Rio de Janeiro integram a lista.

Em 2006, a taxa era de 9,4 mulheres mortas para cada 100 mil no estado pernambucano. Em 2013, a taxa passou para 7,2, representando uma queda de 23,4%.

A secretária estadual da Mulher, Sílvia Cordeiro, acredita que a rede de atendimento, políticas públicas voltadas para o gênero, maior segurança no estado e as conhecimento dos direitos das mulheres foram essenciais para chegar à diminuição do feminicídio, mas ainda há muito a ser feito. “Principalmente a questão do machismo que ainda é muito resistente. Esse é um desafio contínuo. Por isso estamos com muitas campanhas, se aproximando do público masculino para tentar fazer essa reversão da cultura do machismo”, diz.

Dados estaduais de 2014 e 2015
Uma pesquisa da Secretaria da Mulher do estado apresentou que o número de mulheres assassinadas em Pernambuco aumentou entre 2014 e 2015. Só entre os dias 1º e 26 de agosto foram 21 vítimas no estado. No mesmo período do ano passado, foram 17. É um aumento de 23% em apenas um mês. Mesmo assim, a Secretaria da Mulher de Pernambuco lembra que a quantidade de homicídios é menor que as registradas antes da criação da Lei Maria da Penha, que completou nove anos em agosto.

O crescimento registrado entre 2014 e 2015, no entanto, contraria a lógica observada desde a criação da Lei Maria da Penha, em 2006. Segundo a pasta, o número de mulheres mortas vinha caindo nos últimos nove anos por causa da legislação. De 2006 a 2014 houve uma queda de 28% no número de mulheres assassinadas em Pernambuco. O número de homicídios passou de 321 para 259.

Considerando todo o ano de 2015, os números também indicam crescimento da violência de gênero. Entre 1º de janeiro e 26 de agosto deste ano, 168 mulheres foram mortas no estado. No mesmo período do ano passado, foram 159. Ou seja, foram nove vítimas a mais, ou um aumento de 5,6%. Os dados ainda apontam os bairros do Recifexcom o maior número de homicídios. Nos seis primeiros meses de 2015, o Ibura, na Zona Sul, registrou três vítimas - foi o bairro com o maior número de crimes. O Pina, também na Zona Sul, vem logo atrás, com duas mortes.

Só em 2014, por exemplo, 3.914 denúncias foram investigadas em Pernambuco. Dos homens denunciados, 119 tiveram que usar a tornozeleira eletrônica, após uma decisão judicial, para manter uma distância segura das mulheres agredidas. Entre as vítimas, 70 ganharam proteção do estado, passando a viver em casas de proteção com os respectivos filhos. Em 2014, foram 122 crianças abrigadas no estado. Ainda segundo a Secretaria da Mulher de Pernambuco, entre janeiro e julho deste ano, já houve 2.402 investigações, 57 decisões de monitoramento eletrônico, e o abrigamento de 55 mulheres e 103 crianças

Postar um comentário