terça-feira, 10 de novembro de 2015

Morte de radialista expõe insegurança em PE e repercute entre autoridades

A Polícia Civil de Pernambuco está em diligência para encontrar os suspeitos de terem assassinado na manhã de hoje o radialista Israel Silva, em Lagoa de Itaenga, na Zona da Mata de Pernambuco. O delegado especial Pablo de Carvalho, que integra a Gerência Geral da Polícia Científica, foi designado pela Secretaria de Defesa Social (SDS) para investigar o caso conjuntamente com o delegado da cidade, João Gaspar. De acordo com o Carvalho, no momento nenhuma linha de investigação pode ser descartada, mas há indícios de que o crime tenha relação com o exercício da profissão. “Muitas pessoas estão sendo ouvidas ainda. Não se passaram nem 12 horas do homicídio. Enquanto não elucidarmos o caso, as ouvidas e diligências continuarão”.

Apresentador da rádio Itaenga FM, Israel era conhecido pelas posições críticas e sem papas na língua. Na rádio que trabalhava há cerca de 3 anos, denunciava os problemas da cidade, em especial nas questões sobre segurança pública, e notícias sobre política. Em seu programa, Israel costumava fazer oposição ao governo do prefeito Lamartine Mendes (PSB). A vítima também era concursada da Guarda Municipal. O enterro de Israel ainda não foi confirmado, mas deverá ocorrer amanhã, informou um parente.

Segundo a polícia, o radialista foi alvejado por quatro tiros quando chegava em uma loja de informática, por volta das 7h. Testemunhas contaram que dois homens teriam chegado em uma moto e efetuado os disparos. Câmeras de segurança do estabelecimento podem ter gravado a ação e foram recolhidas pela perícia. Amigos do apresentador disseram que Israel ia diariamente à loja para imprimir as matérias que seriam veiculadas no programa. “Era uma rotina dele. Ele deixava os dois filhos no colégio e ia para a gráfica”, afirmou um colega que pediu para não ser identificado. De acordo com ele, no início deste ano Israel teria passado a andar escoltado após ter recebido ameaças. “Ele ficou quatro meses com apoio policial. Um bandido, que agora está preso, disse que iria tocar fogo na rádio com ele dentro”, acrescentou.

Carvalho informou ainda que está sendo averiguada a participação de um adolescente que foi apreendido perto do local do crime. Ele estava armado com um revólver calibre 38 e já tinha contra ele um mandado de busca e apreensão.

A uma televisão de uma emissora local, o irmão do radialista, Sebastião Silva, contou que a família pensa em sair da cidade. “Está todo mundo com medo, não pode viver, vão tudo embora. Todo mundo assombrado”. Lagoa de Itaenga tem cerca de 20 mil habitantes e somente até outubro de 2015 a SDS registrou 14 Crimes Violento Letal Intencional (CVLI). No ano passado, de janeiro a dezembro, foram 12 assassinatos.

Em nota, o deputado federal Tadeu Alencar (PSB), que tem votação expressiva na cidade, lamentou a morte do radialista e disse que levou o caso ao governador Paulo Câmara, além de alertar para o clima de insegurança no local. “Israel era um jornalista sério, que sempre atuou com coragem e profissionalismo denunciando e criticando os desmandos cometidos por quem quer que seja, procurando zelar pela justiça e pela cidadania. Esse é mais um triste e absurdo episódio que vai se somar à lista de atentados cometidos contra o trabalho da imprensa livre, democrática e comprometida com os anseios da sociedade”.

Com atuação nas regiões próxima ao município, o deputado estadual Antônio Moraes (PSDB), lembrou do assassinato do jornalista e vereador Jota Cândido, em 1º de julho de 2005, em Carpina. Também conhecido por denunciar os problemas do município, ele foi morto com 20 tiros na frente da rádio que trabalhava.

Postar um comentário