quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Novos dados apontam que 60% das mães de bebês com microcefalia tomavam remédio controlado

Segundo a infectologista o Hospital Oswaldo Cruz, outras situações podem estar provocando frequência da anomalia nos bebês

- do Portal FolhaPE, com informações de Renata Coutinho, da Folha de Pernambuco

Bruno Campos/Folha de Pernambuco

Outras situações podem estar provocando a frequência da anomalia nos bebês

Novos dados sobre o aumento dos casos de microcefalia em bebês no Estado foram apresentados pela Secretaria de Saúde do Estado nesta terça-feira (24), o que pode apresentar outras hipóteses a respeito das ocorrências da doença, que não sejam apenas o zika vírus. Segundo a infectologista o Hospital Oswaldo Cruz, Regina Coeli, outras situações podem estar provocando a frequência da anomalia nos bebês.

Segundo a Secretaria, mais de 60% das mulheres investigadas que tiveram filhos com microcefalia tomavam remédios de uso controlado, além disso, mais de 60% dessas mães também apresentaram um quadro de exantema, erupção cutânea que ocorre em doença provocada por algum tipo de vírus. 

Foram 487 casos notificados entre 27 de outubro e 22 de novembro deste ano, sendo que 175 deles atendem aos critérios da Organização Mundial de Saúde (OMS). Apresentaram notificações 108 municípios pernambucanos, porém a maior concentração ocorreu em Recife e em Jaboatão dos Guararapes, com 20,6% e 6,5% dos casos, respectivamente

Postar um comentário