terça-feira, 17 de novembro de 2015

Pernambuco tem 268 dos 399 casos de microcefalia no Brasil

Secretaria de Saúde (SES) de Pernambuco informou, na tarde desta terça-feira (17), que entre os 399 casos de microcefalia notificados no Brasil até hoje, 268 foram registrados em Pernambuco. O dado da semana passada sobre a situação confirmava 141 casos no estado.

Desses 268 notificados, 102 foram confirmados. A informação foi passada pela SES após a confirmação do Ministério da Saúde de que o vírus zika é a causa mais provável do aumento do número de casos de microcefalia no Brasil deste ano. De acordo com asecretária executiva de Vigilância em Saúde da SES, Luciana Albuquerque, o estado esperava o aumento dos casos. "A partir da instituição das notificações compulsórias nas unidades de saúde, era esperado que os casos aumentassem", destacou.

Após três exames diferentes, foi confirmada a existência do zika vírus em líquido amniótico (dentro do útero) de duas gestantes da Paraíba com diagnóstico de microcefalia intrauterina. “É altamente provável a correlação entre as duas coisas (zika e microcefalia)”, declarou Cláudio Maierovitch, diretor da Divisão de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde. Apesar de o zika ser a principal hipótese, ainda não estão descartadas outras possíveis causas.

Na próxima sexta-feira (20), a SES vai lançar o protocolo de atendimento para os casos de microcefalia em fetos, para atender às gestantes que receberem o diagnóstico. O documento deve orientar os procedimentos em outros estados, assim como o protocolo de Pernambuco para bebês nascidos com a anomalia já tem feito

As duas gestantes que apresentaram vírus zika no líquido amniótico apresentaram o mesmo quadro já relatado por outras mães: febre baixa, manchas no corpo, duração curta da doença (de três ou quatro dias). Elas tiveram a infecção no primeiro trimestre da gravidez.

Cláudio Maierovitch recomendou às gestantes que sigam as rotinas de pré-natal, não usem medicamentos sem conhecimento médico e evitem contatos com possíveis fontes de infecção de qualquer tipo, como pessoas com febre, por exemplo. “Dada a suspeita do vírus zika, é preciso evitar a exposição aos mosquitos, mesmo que não seja fácil. Procurar não frequêntar lugares onde os vírus são abundantes. Fazer uso de repelentes e roupas com mangas longas.”

Postar um comentário