segunda-feira, 16 de novembro de 2015

PSDB parou de fazer oposição ao Brasil - Inaldo Sampaio

Um aperto de mão trocado na última quarta-feira, em Brasília, entre o líder do governo na Câmara Federal, José Guimarães (PT-CE) e o líder da oposição, Bruno Araújo (PSDB-PE), sinalizando o apoio dos dois lados à proposta de Dilma Rousseff de prorrogar a DRU (Desvinculação das Receitas da União) até 2023, marcou o início de uma nova fase no comportamento dos tucanos. Sob a presidência do senador Aécio Neves, o partido passou por dois momentos. Negligenciou como oposição no primeiro governo de Dilma Rousseff e passou a fazer oposição irresponsável no segundo, ajudando a aprovar matérias com as quais nunca concordou e outras com o claro propósito de inviabilizar o estado brasileiro. É claro que não se espera do principal líder da oposição que dê colher de chá ao governo, mas a dosagem tem que ter limite. Aécio percebeu a tempo que fazia oposição inconsequente, e decidiu rever a rota.

Postar um comentário