quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Deputados Pernambucanos que só pensam em ser prefeito


Do Diario de Pernambuco
Com 16 dos 49 deputados estaduais envolvidos em prováveis candidaturas nas eleições municipais de 2016, a Assembleia Legislativa de Pernambuco está ameaçada de ter um ano, sobretudo no segundo semestre, com a Casa esvaziada. A lista de parlamentares que estão se movimentando para viabilizar seus nomes às prefeituras é extensa, e há casos, como o de Petrolina, em que dois deputados do mesmo partido pleiteiam a indicação: Miguel Coelho (PSB) e Lucas Ramos (PSB). Além deles, Odacy Amorim (PT) também aparece entre os cotados.

Os demais postulantes são Tony Gel (PMDB) e Raquel Lyra (PSB), à Prefeitura de Caruaru; Socorro Pimentel (PSL), em Araripina; Edilson Silva (PSol), no Recife; Waldemar Borges (PSB), em Gravatá; Ângelo Ferreira (PSB), em Sertânia; Teresa Leitão (PT), Ricardo Costa (PBDB) e Professor Lupercio (SD), em Olinda; Botafogo Filho (PDT), em Carpina; Rodrigo Novaes (PSD), em Floresta; Clodoaldo Magalhães (PSB), em Bonito; e Guilherme Uchôa (PDT), que pode concorrer à Prefeitura de Igarassu.

Os nomes foram listados pelo deputado estadual Aluízio Lessa (PSB), que foi recebido, na manhã de ontem, por Alexandre Rands e Maurício Rands, presidente e vice-presidente do Diario. Segundo ele, com 32% a menos de presenças em 2016, a Assembleia terá que agilizar as votações e debates no primeiro semestre para não atrasar as demandas do ano. 

“Vamos adiantar o que der nos primeiros seis meses e tentar administrar as ausências quando começar o período eleitoral. Temos uma vantagem agora porque, com as mudanças recentes na lei, as campanhas durarão 45 dias, que é um período mais reduzido que nas eleições anteriores, por isso, os principais debates e votações não devem ser prejudicados.” Ainda de acordo com o deputado, a boa notícia é que não há demanda reprimida na Casa. “Apesar da crise, tivemos um ano produtivo”, ressalta. Vale lembrar que todos os nomes são de pré-candidatos. Os canditados oficiais dos partidos só serão conhecidos em junho de 2016, após as votações internas das convenções de cada sigla. As eleições municipais de 2016 deverão ocorrer em outubro em todas as cidades brasileiras.
Postar um comentário