quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Governo Federal distribuirá repelente contra Aedes a grávidas


O ministro da Saúde, Marcelo Castro, disse nesta quarta-feira (9), em São Paulo, que o governo irá distribuir repelente para mulheres grávidas para ajudar a prevenir que sejam picadas pelo Aedes aegypti.

“Estamos em contato com o laboratório do Exército, que já fabrica normalmente esses repelentes para suas tropas”, disse, em evento empresarial na capital paulista.

O Nordeste é área prioritária para as ações oficiais contra o Aedes aegypti, segundo o ministro. A região registrou um aumento acentuado nos casos de microcefalia e suspeita-se que podem ter ligação com o zika vírus, transmitido pelo Aedes aegypti.

A iniciativa foi definida nesta terça-feira (8) em reunião do ministro com a presidente Dilma Rousseff e governadores, em Brasília.

Na mesma reunião definiu-se o combate ao mosquit que transmite a dengue, o zika vírus e a febre chikungunya, se dará principalmente pela destruição de focos de proliferação do inseto, já que alternativas mais tecnológicas, como os mosquitos transgênicos ou contaminados com a bactéria wolbachia, bem como a vacina de dengue, ainda não estarão disponíveis para uso abrangente em curto prazo.

Um centro de controle será montado em Brasília, no Ministério da Saúde, em comunicação com centros estaduais, para monitorar a situação. Castro lembrou que por enquanto o mosquito ainda está na fase de menor população. Em fevereiro, ele começa a se reproduzir mais, levando a um aumento no número de casos de doenças por eles transmitidas.

O ministro afirmou ainda que as mulheres gestantes são alvo maior de preocupação, dado o risco de o zika vírus causar microcefalia nos bebês. Elas deverão tomar máximo cuidado para não serem picadas, preferencialmente usando roupas que não deixem pernas expostas, por exemplo, além de colocarem mosquiteiros e telas em suas casas, sempre que possível.

 

G1. 

Postar um comentário