segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Paulo Câmara prestigia Arena Pernambuco e faz opção pelo circo em lugar da saúde

Fernando Castilho

Entre o remédio e o espetáculo, o governador de Pernambuco optou pelo futebol. Na semana passada, em debate na Rádio Jornal, Paulo Câmara disse que manteria fechadas seis UPAs quase prontas, porque simplesmente não tinha como inaugurá-las e mantê-las funcionando. Estimou os custos em R$ 180 milhões/ano. E admitiu ter dificuldades de manter as que estão abertas devido aos altos custos. Ato compreensível num momento de crise, embora saúde seja crucial para qualquer município.

O governador, porém, tem outras prioridades. Poucos dias depois autorizou – através da vice-governadoria – o pagamento de R$ 54 milhões ao contrato da Parceria Público Privada (PPP) da Arena Pernambuco. Com este repasse, o Governo Paulo Câmara terá repassado ao consórcio R$ 147,8 milhões apenas em 2015.

Não é bom caminho para quem esteve o ano inteiro pedindo a atenção dos pernambucanos para ações de economia e contenção de gastos. É importante lembrar que ele próprio, ao assumir, criou comissão liderada pelo vice-governador Raul Henry para analisar o contrato, depois de pagar R$ 93,8 milhões de dívidas atrasadas da Arena.

Admitiu, na época, que poderia reavaliar o contrato, oneroso demais para Pernambuco. Para isso, até contratou consultoria (por dispensa de licitação) para estudar as bases do empreendimento. Mas parece claro que não há o que estudar sobre o assunto PPP da Arena. O governador Paulo Câmara já fez suas escolhas. Talvez porque, certamente, o caixa do governo vá bem obrigado. Ao menos para o futebol.

O projeto Arena Pernambuco virou o saco sem fundos para o governo do Estado. No ano passado, o governo repassou R$ 87 milhões, valor que incluiu o segundo semestre de 2013. Em março, mais R$ 93,8 milhões, repartidos em R$ 37,2 milhões na rubrica “investimentos” e R$ 56,5 milhões como “outras despesas correntes”. Agora, foram R$ 54 milhões. Entre 2013 e 2015, a Arena custou ao contribuinte de Pernambuco quase R$ 235 milhões

Postar um comentário