quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Atleta do Paysandu morre e hospital nega versão de que ele 'ressuscitou' no IML



No Twitter, clube anunciou que jogador voltou a respirar, enquanto corpo estava no IML. Pouco depois, os tuítes foram apagadosReprodução/Twitter

O atleta do Paysandu Arthur Vinicius, de 17 anos, que defendia a equipe sub-17 de futsal do clube, morreu na madrugada desta quinta-feira (14), em Belém (PA), após ter uma parada cardiorrespiratória. Em nota de esclarecimento divulgada pelo Hospital Metroploitano de Urgência e Emergência (HMUE), a Agência Estado informou que o jogador foi vítima de "agressão física com traumatismo craniano grave".

A nota foi encaminhada após as assessorias do HMUE e do Instituto Médico Legal (IML) de Belém, negarem uma versão divulgada pelo Paysandu, que chegou a informar em seu site oficial que o corpo do jogador foi levado ao IML depois de ser "dado como falecido pelos médicos e, no IML, voltar a respirar".

A informação, porém, foi negada pelo HMUE. Via nota, o hospital informou que Arthur Vinicius teve morte cerebral na manhã de quarta-feira (13) e que "a família foi informada e orientada da gravidade da situação". Em seguida, enfatizou que "o óbito ocorreu às 4h da manhã desta quinta-feira, 14/01, após uma parada cardiorrespiratória" e que aí sim "o corpo foi encaminhado às 09h05 de hoje (quinta-feira) ao Instituto Médico Legal (IML)".

Por meio de publicações divulgadas em seu Twitter, que foram posteriormente apagadas nesta quinta-feira, o clube chegou a informar que o atleta estava no hospital respirando com ajuda de aparelhos e que torcia pela sua recuperação. "O Paysandu Sport Club e toda a torcida bicolor torcem pela recuperação do atleta. Força, Arthur, estamos com você", publicou o clube, antes de apagar a mensagem.

O motivo do traumatismo craniano grave que levou Arthur Vinicius à morte não foi revelado pelo Paysandu, que na tarde de quarta-feira, chegou a divulgar uma nota de pesar para lamentar o falecimento do atleta. Ele estava no clube desde quando defendia a categoria sub-13 de futsal. Entretanto, o clube paraense removeu a nota de pesar do site, ao ser informado de que o atleta ainda estaria vivo.

Ivana Barreto, assessora do IML de Belém, também divulgou nota, já no final da noite da última quarta-feira, para negar a versão inicialmente divulgada pelo clube. "O Centro de Perícias afirma que informação sobre atleta supostamente encontrado vivo no IML de Belém não é verídica".

"O CPC (Centro de Perícias Científicas) informa também que até o momento não houve nenhum registro do atleta no IML, e nem de seus familiares. E por conta desta informação falsa, a direção do Centro tomará as medidas cabíveis", encerra a nota divulgada na noite de quarta-feira.

Postar um comentário