quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

BR-101: a rodovia da morte em Pernambuco


Trecho mais perigoso em quantidade de mortes fica na variante que a BR-101 faz de Pontezinha, no Cabo de Santo Agostinho. Fotos: Diego Nigro/JC Imagem
O contorno urbano que a BR-101 faz da Região Metropolitana do Recife, de fato, é um perigo. Dirigir na rodovia mais famosa do País significa correr risco acidente e morte. Os números mostram, mais uma vez, essa triste realidade. Além de permanentemente esburacada, mal sinalizada e cuidada, a rodovia coloca Pernambuco como o 6º Estado em número de mortes em rodovias federais do Brasil. Os dados fazem parte do Atlas da Acidentalidade no Transporte Brasileiro, lançado pelo Programa Volvo de Segurança no Trânsito (PVST) com base nas estatísticas da Polícia Rodoviária Federal (PRF) entre 2007 e 2015.

“O objetivo é fornecer informações que sirvam como ferramenta ao gerenciamento de riscos das viagens, contribuindo para que empresas de transporte realizem ações que contribuam com a redução do número de acidentes envolvendo caminhões e ônibus”,
Anaelse Oliveira, da Volvo

De forma geral, Pernambuco teve 5.077 acidentes que deixaram 3.364 feridos e 409 mortos em 2015. Os acidentes têm um alto índice de gravidade, com 80 mortos por cada mil ocorrências. Para se ter ideia, Minas Gerais, Estado campeão na quantidade de mortos em acidentes nas rodovias federais e com a maior malha rodoviária do País, com 961 vítimas fatais em 2015, teve um índice de gravidade de 62 mortos por mil acidentes.

Postar um comentário