quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Falsos agentes da Polícia Federal assaltam prédio no Recife

Assaltantes vestiam camisas da PF e portavam suposto mandado de busca e apreensão

Por: Diario de Pernambuco

A Polícia Civil de Pernambuco apura a invasão de um condomínio de luxo no bairro do Monteiro, Zona Norte, por homens que diziam ser da Polícia Federal. Os quatro assaltantes chegaram à portaria do edifício Guilherme e Margarida Pontes, localizado na Avenida 17 de Agosto, por volta das 5h20 - faixa de horário no qual as operações reais geralmente acontecem -, vestindo camisas da Polícia Federal e portando um suposto mandado de busca e apreensão.

Os funcionários autorizaram a entrada, e o grupo seguiu até um dos 120 apartamentos do condomínio, de onde levou objetos. O fato ocorreu no dia 13 dezembro, mas veio à tona nesta terça-feira, após publicação, nas redes sociais, de uma circular redigida pela administração do condomínio a respeito da invasão. O crime está sendo investigado pelo delegado Paulo Rameh, da Delegacia de Casa Amarela.

Segundo o próprio comunicado emitido pela administração do condomínio, os ladrões chegaram em uma caminhonete de cor prata e solicitaram o acesso a uma determinada unidade habitacional. Seguindo norma de segurança do prédio, o funcionário acompanhou os quatro homens até o apartamento. O grupo teria deixado o condomínio 20 minutos depois de entrar, ou seja, às 5h40 daquele dia. Por volta das 7h30, o morador da unidade vistada pelos falsos policiais federais informou ao porteiro que se tratava de um furto e que iria prestar queixa à polícia.

"Esta administração está colaborando com o processo investigativo e espera que os fatos sejam devidamente esclarecidos pelas autoridades competentes"�, diz o comunicado. O Diario de Pernambuco procurou a administração do condomínio, que informou ter sido orientada a não falar nada sobre o episódio até que a polícia conclua a investigação e esclareça o roubo.

O Margarida e Guilherme Pontes possui forte esquema de segurança nas duas entradas, que se localizam na Avenida 17 de Agosto e na Rua Tapacurá, beirando o Rio Capibaribe. Para ingressar no prédio, é preciso fazer identificação prévia nas guaritas. Toda a área é vigiada por câmeras de segurança. As imagens gravadas pelo sistema já foram repassadas à Polícia Civil, que está tentando identificar os suspeitos de envolvimento com o roubo. Cada uma das duas torres tem 30 andares com dois apartamentos de 234 metros quadrados.

De acordo com a assessoria de Comunicação Social da Polícia Federal em Pernambuco, no dia 13 deste mês não houve nenhuma operação da instituição no bairro. "Com certeza, essas pessoas não eram agentes da Polícia Federal. Isso é um golpe que já vem acontecendo no Sudeste, principalmente em São Paulo e no Rio de Janeiro, comentou Giovani Santoro, assessor de comunicação social da PF, que divulgou nota oficial sobre o caso na noite desta terça-feira.

A corporação informou que outras forças de segurança, civis e militares, já foram usadas como disfarce por bandidos nesse tipo de ação. Segundo a PF, certos cuidados podem diminuir os riscos. A corporação orienta que, em caso de dúvida durante uma abordagem, a pessoa solicite a identificação do chefe da equipe, com apresentação da carteira funcional e do mandado judicial que está sendo cumprido. É possível pedir os documentos apenas para conferência e abertura dos portões.

A Federal ressaltou ainda que seus agentes sempre se identificam de forma adequada em diligências. Como o crime se trata de um roubo comum, a PF não se envolverá nas investigações, mas dará todo o apoio necessário ao trabalho da Polícia Civil, segundo o comunicado.

Postar um comentário