sábado, 21 de janeiro de 2017

Morcegos se alimentam de sangue humano em PE, dizem pesquisadores

Sangue foi encontrado em fezes do animal no Parque Nacional do Catimbau. Mudança é causada por extinção de animais que os morcegos se alimentavam.

Do G1 Caruaru

Pesquisadores descobriram que uma espécie de morcegos está se alimentando de sangue humano no Parque Nacional do Catimbau em Buíque, no Agreste de Pernambuco. De acordo com o professor Enrico, o sangue foi encontrado nas fezes dos animais.

"Nós investigamos uma colônia de uma das três espécies de morcegos vampiros que existem aqui na região, essa é a espécie mais rara. Nós usamos técnicas de DNA para acessar o que que esses animais estavam comendo, para nossa surpresa a gente detectou sangue  de humanos nas fezes dessa espécie de morcego, que até então era considerado um especialista em aves", afirmou ele.

Parque Nacional do Catimbau em Buíque
(Foto: Reprodução / TV Asa Branca)

Mesmo com a restrição de acesso ao parque apenas para pesquisadores, a caça ainda afeta a biodiversidade no parque, levando alguns animais a extinção, acarretando a mudança na alimentação dos morcegos. "O que acontece é que em volta do parque a gente tem muitos moradores, e o maior problema que a gente lida atualmente no parque é a caça, praticamente todas as aves e os mamíferos grandes são muito raros de ver ou já estão extintos na região por questão de excesso de caça", afirmou a chefe do Parque Nacional do Catimbau Gisela Carvalho.

Mesmo com o novo hábito alimentar dos morcegos, o professor Enrico tranquiliza a população e explica o que se deve fazer em caso de mordida do animal. "O fato de uma pessoa ter sido mordida por um morcego não quer dizer que ela vai morrer por alguma doença, como todo e qualquer mamífero, até um coelhinho branco pode transmitir algumas doenças para os humanos, no caso dos morcegos, a doença mais significativa é a raiva, então eventualmente qualquer pessoa que seja mordida por um morcego ela precisa receber imediatamente a vacinação antirrábica", afirmou.

Postar um comentário