quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Paulo Câmara escolhe Francisco Dirceu Barros como procurador-geral de Justiça

Foto: Arquivo

Amanda Miranda

Segundo mais votado da lista tríplice entregue ao governador Paulo Câmara (PSB) nessa terça-feira (3), o promotor Francisco Dirceu Barros, de Garanhuns, foi escolhido pelo socialista nesta quarta-feira (4) como procurador-geral de Justiça. O nome dele deve ser oficializado ainda esta noite. Dirceu é ligado a Carlos Guerra, atualmente no cargo.

O mais votado foi José Paulo Cavalcanti, da Central de Inquéritos e ex-integrante da Corregedoria do MPPE, representando a oposição. Em terceiro, também pela oposição, ficou Charles Hamilton dos Santos. A tradição inaugurada por Miguel Arraes (PSB) era de nomear o de votação mais expressiva.

Natural do Crato, Ceará, Dirceu tomou posse como promotor de Justiça em 30 de setembro de 1999, na Comarca de Exu. Passou como titular ou por cumulação pelos municípios de Correntes, Moreilândia, Ouricuri, Trindade, Bodocó, Panelas, Águas Belas, Lagoa do Ouro, Angelim, Jurema, Bom Conselho e Garanhuns. Atualmente é o 2º promotor de Justiça Criminal de Garanhuns e coordena a sede das Promotorias de Justiça de Garanhuns.

O novo procurador-geral de Justiça provocou polêmica após um áudio em que defendia alternativas para a provável perda do auxílio-moradia por integrantes do Ministério Público se espalhar. Dirceu chegou a ser criticado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), ao que respondeu que aquela não era uma opção pessoal, e sim de muitos nomes do órgão, que, na opinião dele, tinha uma defasagem salarial muito grande. Em seguida, afirmou que havia uma “imprensa ruim” contra eles

Postar um comentário