quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Governador elogia polícia, e garante que vai pegar assaltantes

Paulo Câmara elogia atuação da Polícia e garante que vai prender responsáveis por assalto



Após o cancelamento da agenda em São Paulo, o governador Paulo Câmara voltou ao Recife após o assalto ocorrido na madrugada desta terça-feira. Em coletiva de imprensa realizada esta noite, o governador comentou a onda de violência no estado, afirmou que há engajamento em "prender as pessoas que estão provocando isso". 

Sobre o assalto à empresa de transporte de valores Brinks, Paulo Câmara disse que o estado que "vai trabalhar para que fatos como esse nao se repitam", além de elogiar a "ação rápida, ágil e corajosa" da Polícia Militar. O governador comentou ainda que é necessária ainda uma maior fiscalização na segurança dessas empresas e frisou o fato de que os assaltantes agiram "com armas contrabandeadas que nao existem no brasil, ou seja, que passaram por nossas fronteiras". De acordo com Paulo Câmara, é importante atuar também de maneira federativa. 

A segurança da cidade durante o carnaval também foi pautada na coletiva. De acordo com o governador, neste ano, o efetivo de policias na rua será 12% maior que em 2016 e afirmou que o governo vai "garantir a paz que as pessoas precisam no seu ir e vir". Diante da onda de violência, porém, a oposição tem feito pressão para que o estado solicite o envio de tropas federais para garantir a segurança durante as festas.   

O assalto

Hoje, moradores da área acordaram apavorados com o som de diversos disparos de armamento pesado e explosões. A quadrilha, formada por cerca de 30 homens encapuzados e fortemente armados, invadiu um posto de combustíveis e explodiu o cofre daempresa de segurança e transporte de valores Brinks, na Avenida Recife. De acordo com informações extra-oficiais, os bandidos conseguiram acessar o cofre da empresa e levar uma grande quantia em dinheiro. Fala-se em cerca de R$ 60 milhões.

Por volta das 2h30, a Polícia Militar chegou ao local e houve troca de tiros com os integrantes da quadrilha, assustando moradores da localidade, que fizeram relatos nas redes sociais. Três PMs ficaram feridos. Dois deles foram socorridos ao Hospital da Restauração (HR) e um foi atendido no local, com tiro de raspão. Um PM levou um tiro no braço e o outro, na perna. O terceiro foi atingido de raspão na orelha. Todos passam bem. Apesar do confronto, ninguém foi preso até o momento.  Os policiais militares que entraram em confronto com os suspeitos acreditam que o grupo é formado por criminosos de outros estados, por terem ouvido sotaques do Sul e Sudeste do país. Na fuga, a quadrilha deixou cilindros de gás, armas e coletes. Além disso, comerciantes relataram prejuízos deixados pelos bandidos.

A investida, de grande porte, aconteceu no primeiro dia de trabalho do novo comandante da Polícia Militar, o coronel Vanildo Maranhão, no dia da posse do novo chefe de Polícia Civil, Joselito Amaral e em meio à operação padrão realizada pelos policiais e bombeiros, iniciada em dezembro do ano passado. Durante a operação de hoje, um PM chegou a criticar a falta de armamento da categoria, alegando que a frota utilizou fuzis emprestados do Exército para sair às ruas esta madrugada. Em entrevista à TV Globo, o coronel admitiu o uso de armamentos do Exército, mas garantiu que a frota está equipada para combater a criminalidade. Já a Polícia Civil só deve se pronunciar ao final da operação, realizada por uma força tarefa criada especialmente para investigar os cada vez mais recorrentes casos de assaltos e explosões a bancos, carros-fortes e empresas de segurança.   

Fonte: Diário de PE

Postar um comentário