quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

SDS não vai mais divulgar estatísticas diárias de homicídios

Raphael Guerra

    

Com número de homicídios em alta, SDS só irá divulgar estatísticas uma vez por mês. Foto: JC Imagem/Arquivo

Após dez anos, a Secretaria de Defesa Social (SDS) decidiu criar uma nova metodologia para contabilizar os homicídios registrados em Pernambuco. O assunto está sob estudo do novo gestor de estatísticas da pasta de segurança pública. Desde o início do mês, os números deixaram de ser divulgados diariamente no site oficial da SDS – o que tem chamado a atenção e sido alvo de críticas, principalmente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol-PE).

A decisão de mudar a metodologia acontece justamente no momento em que o Estado registra aumento significativo no número de assassinatos. No ano passado, mais de 4.400 homicídios foram contabilizados. Entre os anos de 2013 e 2016, a taxa de assassinatos por 100 habitantes também registrou aumento considerável.

A promessa da SDS é de que até a próxima semana os números consolidados de janeiro sejam divulgados. Mas ficou decidido que isso só acontecerá, publicamente, uma vez por mês. Desde o início do programa Pacto pela Vida, as estatísticas eram atualizadas diariamente, no site da SDS, trazendo mais transparência à situação da violência no Estado.

Nos próximos dias, após a avaliação e decisão sobre a nova metodologia em estudo, a pasta deve divulgar detalhes de como os homicídios serão agora contabilizados.

Confira trecho da nota oficial do Sinpol-PE sobre o assunto:

“Temos denunciado a inaceitável falta de estrutura enfrentada pelas forças de segurança do estado. Faltam coletes, armamentos, gasolina para diligências, viaturas, papeis para impressão de boletins de ocorrência e principalmente efetivo policial. O pior é que, além de nada disso ter sido resolvido, as ações praticadas pela SDS não vem obtendo o resultado esperado, como foi a recente ‘dança das cadeiras’ com mais de 20 delegados de polícia, pois, mudam-se as pessoas, mas, mantém-se a precária estrutura e falta de efetivo. O combate a crescente onda de violência fica ainda mais prejudicado quando o Governo deixa de publicar os dados e estatísticas da violência em 2017. Essa falta de transparência nos preocupa muito, pois para que se possa atacar de forma efetiva e se combater esse aumento da criminalidade, precisamos trabalhar em cima de dados reais para que assim a política pública de segurança também seja real. O combate a criminalidade não é feito só com polícia, mas na questão do tocante a esta, o modelo que aí está não mais serve para a sociedade pernambucana. Essa situação nos assusta porque parece que o governo não quer atacar o problema de forma real.”

Postar um comentário