segunda-feira, 27 de março de 2017

Violência explode em Arcoverde e homicídios cresceram 43% em 2016





            Dados da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco revelam que Arcoverde não ficou de fora do crescimento da violência que afetou todo o Estado no ano passado. Segundo os números, a taxa de homicídios no município cresce 43% entre os anos de 2015 e 2016. Foram 23 assassinatos em 2015, contra 33 no ano passado.

Os números refletem na Capital do Sertão, que neste sábado recebe o Governador Paulo Câmara (PSB), responsável pela segurança do Estado, os índices que deixaram Pernambuco em alerta.

Nas dez cidades que são cobertas pela Regional de Polícia e integram a 19ª Área Integrada de Segurança, os homicídios em Arcoverde representaram em 2015, 27% dos casos. Já em 2016 esse número subiu para 33%.

E os números são ainda piores quando se faz a comparação dos 10 municípios que integram a 19ª AIS, que são eles: Arcoverde, Buíque, Sertânia, Custódia, Itaíba, Ibimirim, Tupanatinga, Pedra, Venturosa e Manari. Nessa região, o crescimento no número de homicídios foi de 75%, passando de 70 mortes para 123 entre 2015 e 2016. Apesar disso, as mortes de Arcoverde no comparativo individual com as outras cidades são quase 200% maiores que qualquer uma delas.

Para especialistas ouvidos, isso é resultado do desmantelamento da estrutura policial, desaparelhamento e baixo efetivo. Só para citar o exemplo de Arcoverde, menos de 20 policias militares atuam por dia para fazer a segurança de mais de 90 mil pessoas, incluindo aí a população circulante.

Recentemente, a onda de assaltos, roubos e furtos são constantemente denunciadas nas redes sociais, comprovando o clima de insegurança na cidade para o cidadão que não pode se dá ao luxo de ter dois policiais militares, pagos pelo Estado, ou seja, seus impostos, protegendo a si e a sua família.


Folha das Cidades

Postar um comentário