quinta-feira, 27 de abril de 2017

Chuvas trazem alento e a volta do verde ao sertão

Chuvas levam o verde de volta ao Sertão




Zona de Convergência Intertropical. Este fenômeno foi o responsável por aumentar o volume de chuvas no Sertão pernambucano entre os meses de março e abril de 2017, de acordo com a Agência Pernambucana de Águas e Clima (APAC). As precipitações fizeram o verde dar as caras novamente no solo sertanejo. Diante do cenário pouco corriqueiro, Jaelson Pontes, nascido e criado no Sítio Lajedo, a 10 km de Afogados da Ingazeira fez o registro do antes e depois das chuvas na região. Nos registros, o solo, seco em janeiro de 2017, aparece repleto de vegetação em abril. Em outra imagem, uma árvore que possuía apenas galhos, ganha nova vida com presença das folhas.

Mas o cenário atual, que dá alegria a Jaelson, infelizmente, não deve durar por muito tempo. “As chuvas foram geradas pela Zona de Convergência Intertropical, ocasionando as chuvas em março e abril, mas o período chuvoso do Sertão já terminou”, explica a meteorologista da APAC, Edvânia Santos, afirmando ainda que, historicamente, as chuvas sertanejas ocorrem entre dezembro e janeiro.

O solo tomado pelo verde, portanto, deve ser uma questão de tempo no Sertão.

O período de abril a junho, inclusive, será de chuvas abaixo da média histórica em todas as regiões de Pernambuco, segundo a agência.

No Sertão, por exemplo, o mês de maio registrará chuvas de no máximo 50 milímetros em grande parte do território. Cada milímetro representa a altura de chuva acumulada em uma área de um metro quadrado.

O cenário se agravará em junho, com as precipitações sendo inferiores aos 25 mm em boa parte do Sertão. Julho, agosto e setembro representarão o auge da estiagem, com precipitações inferiores a 10 mm na região. De outubro a dezembro, o cenário climático fica mais ameno, com crescimento contínuo das chuvas, até os 75 mm

Postar um comentário