segunda-feira, 3 de abril de 2017

Com apoio de Lula e Armando Monteiro, Célia Sales vence na cidade da Refinaria Abreu e Lima




jamildo
Os prognósticos de bastidores se confirmaram.

A candidata do PTB em Ipojuca, Célia Sales, venceu a disputa contra o ex-prefeito Carlos Santana, do PSDB.

Com mais de 31.010 votos, Célia teve 55, 20% do total dos votos.

Carlos Santana teve 23.925 mil votos, correspondentes a 42,58% do total de votos.

A prefeita eleita teve o apoio do senador Armando Monteiro Neto e também de Lula, que gravou vídeo de São Paulo.

A eleição marca uma mudança no quadro político local porque, nos últimos anos, se revezavam no poder os grupos de Carlos Santana e Pedro Serafim. Nestas eleições, os dois grupos se uniram.

Na conta da política, a derrota de Carlos Santana será creditada nas costas do governador Paulo Câmara, aliado do tucano. Com popularidade em baixa, nem na cidade o governador apareceu para ajudar o aliado.

De manhã, antes mesmo do resultado das urnas, Carlos Santana disse que o seu principal adversário era o desemprego elevado na região.

Ipojuca é onde está encravada a polêmica Refinaria Abreu e Lima, da Petrobras, que até hoje não funciona na sua capacidade total. Há uma investigação de superfaturamento na obra, que foi anunciada por US$ 2,4 bilhões em 2005 e chegou a custar U$S 18,5 bilhões até outubro de 2014.

A eleição foi marcada no fim de janeiro, após protestos por mais celeridade do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) para agendar o novo pleito. A prefeitura chegou a ser ocupada em uma das manifestações, que acabou em confusão. A estratégia nos últimos meses foi do porta a porta, principalmente nos distritos de Ipojuca e na zona rural. Foi uma campanha menos midiática e mais focada na aproximação com os eleitores.

Desde janeiro, Ipojuca tem um prefeito interino, Irmão Ricardo (PTC), presidente da Câmara Municipal e aliado de Carlos Santana. Ele chegou a ser alvo de recomendações do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para não gerar despesas e também por suposto favorecimento do vice de Carlos Santana, Danda Positivo (PP).

A eleição de outubro

Sales foi considerado inelegível pela condenação por improbidade administrativa em 2012, referente a uma viagem feita para Foz do Iguaçu no ano de 2008, quando era vereador do município. O então vereador viajou ao lado de outros sete parlamentares, cinco assessores e três servidores da Câmara Municipal para Foz do Iguaçu para participar do 39º Encontro Nacional de Agentes Públicos. No entanto, a viagem bancada pela Câmara teve finalidade turística, e não de capacitação. O dano total causado ao erário foi de R$ 69.657,86.

Em outubro, ele teve 32.496 votos, enquanto o tucano recebeu 23.765. Em 2012, Carlos Santana saiu vencedor por pouco mais de 200 votos.

Sem conseguir se candidatar, Romero Sales colocou a esposa na disputa e passou a fazer campanha com ela. Até esta tarde, porém, o resultado era imprevisível.

O ex-presidente Lula (PT) chegou a ir a Ipojuca no ano passado pedir votos para Romero, junto ao senador Armando Monteiro Neto (PTB). No evento, o petista definiu os tucanos como uma “coisa predatória”. Para Célia, ex-presidente gravou um vídeo nos últimos dias de campanha. Apontado como o nome da oposição com maior intenção de votos para 2018 na pesquisa do Instituto Uninassau publicada pelo voto, Armando também pode ter sido um cabo eleitoral eficiente. O que é certo é que ele ganha um importante município para as próximas eleições

Postar um comentário