quarta-feira, 17 de maio de 2017

Almoço envenenado: família de suspeito alega inocência e entrega abaixo-assinado



TV Jornal


Reprodução/TV Jornal

Os parentes do homem suspeito de envenenar noves pessoas de uma mesma família durante um almoço de Dia das Mães, no bairro de Camaragibe, no Grande Recife, procurou à polícia na noite desta terça-feira (16). Por volta das 22h30, eles levaram um abaixo-assinado de vizinhos e amigos do rapaz alegando inocência e disse que ele vai se entregar.

Como a delegacia estava em esquema de plantão, todos foram orientados a voltarem na manhã desta quarta-feira (17), horário em que a delegada Euricélia Nogueira, responsável pelo caso, estaria. O grupo foi embora, mas prometeu procurar a delegada ainda hoje. A expectativa da polícia é que o suspeito se entregue.

Depoimento

A mãe de Débora Regina, jovem envenenada durante um almoço e principal alvo do suspeito, prestou depoimento à polícia e acusou o ex-namorado da filha de cometer a tentativa de assassinato. A mulher, que não quis ter o nome revelado, disse que um dia antes do crime o rapaz teria visitado a casa e misturado veneno ao tempero colorau, que foi utilizado na preparação dos alimentos.

“Ele ameaçava ela de morte e disseram que na sexta-feira ele foi na casa dela e disse que tinha deixado um presente. Então quer dizer que o presente que ele deixou foi o veneno”, afirmou a mãe. Ainda segundo a mãe da vítima, o casal brigava e ela tinha acabado de romper o relacionamento. “Ela não me contava as coisas, já que não eu gostava dele. Eles brigavam e eu dizia que ele não servia, mas como ela morava com os avós achava que eu não podia me meter na vida dela”, contou.



Estado de saúde

Das nove pessoas da mesma família que foram envenenadas durante o almoço, seis continuam internados. O caso mais grave é o da ex-namorada do suspeito, Débora Regina Belo Soares. Ela está internada no Hospital da Restauração, no bairro do Derby, no Centro do Recife, e o estado de saúde é estável.

As demais vítimas, Talison Gomes Soares, Valquilene Maria Soares, Nilsa Maria da Silva, Augusto Francisco Soares e Regivaldo Francisco Soares foram encaminhados à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Caxangá e, em seguida, transferidos para outras unidades de saúde do Grande Recife. Já Vilma Maria Soares, José Edson Soares da Silva e Gleice Kelly Soares tiveram alta nessa segunda-feira (15).

Provas

No fim da noite do domingo (14), o Instituto de Criminalística da Polícia Civil foi ao local para recolher provas do crime. A perita Vanja Coelho recolheu lençol, feijão, a galinha do almoço e o colorau usado para temperar. Além disso, os vômitos do gato, que morreu, e de duas pessoas também foram recolhidos.

Postar um comentário