quarta-feira, 3 de maio de 2017

Racha provoca primeira baixa no PSB



Após apoiar o governo, o deputado José Reinaldo se desfiliou

Por: Carol Brito, da Folha de Pernambuco 


Após apoiar o governo, o deputado José Reinaldo se desfiliouFoto: lucio bernado Jr/câmara


 

O racha interno no PSB, após o fechamento de questão sobre as reformas do Governo Federal, continua rendendo novos capítulos. Após movimentos sociais da sigla pedirem sanções contra os parlamentares que votaram à favor da reforma trabalhista, contrariando a Executiva Nacional, a legenda sofreu a sua primeira baixa. Apoiador das pautas governistas, o deputado federal José Reinaldo (PDB-MA) anunciou seu pedido de desfiliação, alegando falta de diálogo da direção partidária e com a bancada.

A saída do legilador é vista como uma abertura para potenciais novas desfiliações. Desde a decisão da Executiva Nacional, foi criado um ambiente de insatisfação entre os parlamentares. No dia seguinte à decisão, quatro parlamentares que votaram em favor do Governo Federal foram destituídos das comissões provisórias dos seus Estados. No fim de semana, os segmentos sociais do PSB divulgaram uma nota conjunta em que defendem a imediata destituição da líder do partido na Câmara Federal, Tereza Cristina (MS), e a abertura de processo de administrativo contra os deputados que votaram a favor da Reforma Trabalhista. Isso poderá levar a novas desfiliações.

O clima deve se estender, inclusive, para a Casa Alta, já que a bancada de senadores do PSB também está dividida, mesmo com o fechamento de questão da Executiva Nacional. Os legisladores Lídice da Mata (PSB/BA), João Capiberibe (PSB/AP) e Antônio Carlos Valadares (PSB/SE) tendem a votar contra as reformas governistas, sendo que este último pode voltar atrás, por possuir cargos no Governo Federal. Já o líder da bancada, Fernando Bezerra Coelho (PSB/PE), Lúcia Vânia (PSB/GO) e Roberto Rocha (PSB/MA) estão juntos com o Executivo Federal. A posição do senador Romário (PSB/RJ) ainda é indefinida

Postar um comentário